Suspeitos são presos em operação que investiga fraude no IPE Saúde no RS

Suspeitos são presos em operação que investiga fraude no IPE Saúde no RS

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisões temporárias em Palmeira das Missões e Rodeio Bonito.

Operação investiga fraude no IPE Saúde Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil prendeu quatro pessoas, na manhã desta terça-feira (2), suspeitas de participar de uma fraude no Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (IPE Saúde). Entre os presos estão um advogado, uma enfermeiro e duas empresárias. A polícia não informou os locais das prisões. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisões temporárias em Palmeira das Missões e Rodeio Bonito, no Norte do RS. O IPE Saúde emitiu uma nota destacando a relevância da operação. "Foi originada a partir de denúncia do próprio instituto à Procuradoria Geral do Estado e ao Tribunal de Contas. A investigação trouxe à tona uma articulação entre advogados e profissionais da área da saúde que ingressavam com ações judiciais para a concessão de atendimentos fora da cobertura prevista", afirma o órgão. 

A polícia investiga crimes de estelionato contra a administração pública, falsidade de documento particular, uso de documento falso e associação criminosa, que teriam ocorrido nos municípios de Palmeira das Missões e Rodeio Bonito. Segundo o delegado Max Otto Ritter, a investigação teve início no ano de 2017, a partir de uma denúncia feita pela Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e pela 15ª Coordenadoria Regional de Saúde, ambas relatando o crescimento de demandas envolvendo serviços de home care (cuidados em casa). Esses serviços, segundo a investigação, podem custar até R$ 80 mil e envolvem equipamentos especiais, medicamentos, e atendimentos de vários especialistas. Há suspeitas de que houve pedidos para pessoas que não precisavam do serviço e também de superfaturamento de produtos incluídos no atendimento. As investigações ocorreram em conjunto com o Ministério Público de Palmeira das Missões e contaram com o auxílio de diversos órgãos de fiscalização e controle. Foram cumpridos mandados em Palmeira das Missões e Rodeio Bonito Divulgação/Polícia Civil Nota do IPE Saúde "O IPE Saúde destaca a relevância da operação deflagrada nesta terça-feira (02/06) pela 1ª Delegacia de Combate à Corrupção, que foi originada a partir de denúncia do próprio instituto à Procuradoria Geral do Estado e ao Tribunal de Contas. A investigação trouxe à tona uma articulação entre advogados e profissionais da área da saúde que ingressavam com ações judiciais para a concessão de atendimentos fora da cobertura prevista. As ações examinadas pela investigação referem-se a serviços de Homecare, que chegam a cerca de R$ 30 milhões.

 

“Saudamos a operação. Ela é muito bem-vinda, pois serve de exemplo àqueles que tentam tirar proveito dos recursos públicos, especialmente de órgãos que lidam com a saúde dos gaúchos”, observa o presidente do IPE Saúde, Marcus Vinicius Vieira de Almeida. A aprovação e contratação de 27 técnicos de nível superior - entre eles, médicos, enfermeiros e farmacêuticos - é uma das medidas importantes para reforçar a autarquia com um quadro específico para as atividades de auditoria, controle e combate a fraudes.

 

“É um passo importante para garantir a sustentabilidade do IPE e o fortalecimento deste que é o maior plano em atuação no Sul do Brasil”, observa Almeida. As investigações prosseguem com o apoio do instituto junto à apuração das autoridades competentes".