Hospital de Viamão não envia representante para audiência sobre seu próprio atendimento

De acordo com ofício entregue aos proponentes da audiência, entidade responsável pelo Hospital alegou "compromissos de agenda"

Hospital de Viamão não envia representante para audiência sobre seu próprio  atendimento

Convidado a comparecer em audiência pública para tratar do atendimento e gestão do Hospital de Viamão, a própria instituição não enviou nenhum representante e alegou conflito de agenda. O evento, ocorrido na tarde desta quarta-feira (12), foi realizado na Câmara Municipal de Viamão, por iniciativa dos vereadores Alex Boscaini (PT) e Rodrigo Pox (PDT), com o objetivo de discutir e avaliar o atendimento, assim como as receitas e despesas da Fundação Universitária de Cardiologia, responsável pela administração do Hospital. O Ministério Público também não compareceu e justificou sua falta "em razão de colidência com audiência judicial". 

Além dos vereadores proponentes, participaram da mesa o presidente da Câmara, Prof. Igor Bernardes (PL), que abriu a audiência, bem como um dos integrantes do Conselho de Saúde do Estado, Paulo Antônio da Costa Casa Nova. 

Boscaini lamentou a ausência das entidades convidadas e reforçou uma disparidade entre os valores repassados e a qualidade do atendimento prestado pelo instituição. "Nosso objetivo é debater o atendimento do hospital. Não o atendimento dos poucos profissionais, mas o conjunto da obra. Há muitas queixas e o hospital tem uma série de contratualizações com o Estado e União, a qual ele assume obrigações que são pagas pelo SUS, porém os serviços que a gente percebe estão muito a quem do suporte financeiro que eles recebem. Queremos transparência do recurso público recebido pelo Hospital de Viamão, e todos precisam estar nessa luta conosco. É dever do poder legislativo fiscalizar toda instituição que receba aporte público”, explica o vereador. 

Em sua manifestação, o presidente da Câmara, Prof. Igor Bernardes, comparou o sistema de saúde brasileiro (SUS) com sistemas de outros países, onde o atendimento é privado. O Sistema Único de Saúde, como frisou o chefe do legislativo, é referência em diversas nações, mas que precisa ser melhor gerido. 

“Precisamos ampliar o atendimento prestado pelo Hospital de Viamão, aumentar o debate dentro do município. O formato do SUS, hoje, é reconhecido como modelo ideal fora do país, porém carece de uma gestão eficaz. A gestão do SUS implica em compreender o que é responsabilidade do município,do estado, fazer um apanhado dos recursos recebidos, para que tenhamos um atendimento mais digno e melhor”,afirma o presidente da Casa. 

Já o vereador Rodrigo Pox falou da necessidade de criar mais proximidade entre o Hospital de Viamão e a Câmara Municipal para estabelecer uma comunicação mais efetiva entre as partes.

“Nós recebemos todos os dias pedidos de ajuda. Por isso é importante debater esse tema. O hospital é uma empresa que recebe um recurso mensal para fazer sua gestão e nós queremos ter uma participação mais efetiva nisso. Porque nossa obrigação e dever é controlar e saber as obrigações do hospital. Precisamos ter atenção em relação ao atendimento do Hospital Viamão. Esta discussão é uma importante demanda da população e não mediremos esforços para contribuir para a melhoria da saúde na cidade”, diz Pox

O representante do Conselho de Saúde do Estado, Paulo Casa Nova, manifestou-se também, onde frisou que o dinheiro público precisa ser bem investido em forma de respeitar os cidadãos. 

O dinheiro público deve ser aplicado, o dinheiro público tem dono, então é preciso ter zelo e responsabilidade. Precisamos traçar uma política que atenda às necessidades da população. Me coloco de forma solidária com o povo de Viamão”, diz Casa Nova. 

O vereador Alex Boscaini, bem como os demais participantes da Audiência Pública, destacaram a ausência de representante do Hospital de Viamão, visto a urgência de tratar de temas importantes, que abrangem desde atendimento até os insumos da entidade. Em resposta ao convite feito pela Casa, o hospital se colocou à disposição para receber a Comissão de Saúde da Câmara. 

Para o vereador Dilamar de Jesus (PSB) a ausência das entidades convidadas pode ser resolvida numa próxima audiência a partir de uma convocação formal por parte da Casa, como já ocorreu em outras ocasiões. “O que aconteceu aqui foi a mesma coisa que aconteceu na audiência com a CEEE Equatorial. Uma coisa é o vereador fazer o convite, outra é uma convocação. Quando a Equatorial foi convocada, vou usar de exemplo,foi muito importante, pois uma audiência pública, para o município, tem muita valia. A gente sabe que sem dinheiro não se faz nada, e o SUS é muito bom, só precisa de gestores para gerir melhor esse sistema e que as pessoas sejam mais sérias com o atendimento”, explicou o vereador Dilamar. 

O ex-prefeito de Viamão, Ridi, fez uso da tribuna e também lamentou a ausência da direção do hospital. Na ocasião, Ridi demonstrou apoio à convocação dos representantes para a próxima audiência.

Entre os discursos, destacou-se a manifestação da representante do Conselho do Idoso, Matilde Drodt, que reforçou a luta para a retomada do atendimento da maternidade do Hospital de Viamão. “Ano passado, juntamente com a vereadora Fátima Maria, estivemos numa luta muito grande para que as nossas crianças voltem a nascer aqui na cidade, não em Alvorada, nunca diminuindo a nosso município vizinho. E quero deixar registrado a minha indignação com o município que não mandou representante, bem como a direção do hospital”, aponta Matilde. 

O vereador Alex, visto a carência de representante do Hospital, informou que vai convocar para a próxima audiência, a ser realizada 9 de junho, às 18h30 no Plenário Tapir Rocha da CMV, a direção do Instituto de Cardiologia para o diálogo. 

Os encaminhamentos acordados foram: moção de repúdio a direção do hospital pelo não comparecimento na audiência de hoje, convocação ao Hospital de Viamão para a nova Audiência Pública no dia 9 de junho, auditoria nas contas do hospital, convite para a Secretaria Municipal de Saúde, formatação de documento para acesso da vigilância sanitária nas dependências do hospital e moção de apoio pelo retorno da maternidade ao Hospital de Viamão.

Também compareceram os vereadores William Pereira (PTB), Fátima Maria (PT), Markinhos da Estalagem (PSB), Thiago Gutierres (PSD).