Final da Libertadores: Conmebol devolverá dinheiro de ingressos e quer negociar com companhias aéreas

Entidade anuncia como será procedimento para quem já havia adquirido entradas para partida em Santiago. Jogo entre Flamengo e River Plate será realizado em Lima, no Peru

Final da Libertadores: Conmebol devolverá dinheiro de ingressos e quer negociar com companhias aéreas
Final da Libertadores: Conmebol devolverá dinheiro de ingressos e quer negociar com companhias aéreas

Após a reunião que definiu a mudança do local da final da Libertadores entre Flamengo e River Plate - sai de Santiago e vai para Lima, mantendo a data inicial de 23 de novembro -, a Conmebol divulgou como ficarão algumas questões para quem havia adquirido ingressos para ver o jogo no Chile.

Em coletiva em Luque, no Paraguai, a entidade revelou que devolverá o dinheiro e dará prioridade de nova compra para quem já tinha ingressos. Ou seja, não haverá transferência automática de entradas de Santiago para Lima. Os torcedores podem optar apenas pelo reembolso do valor sem a obrigação de adquirirem ingressos para o novo local.

 

- Estamos tomando todas as providências para que o sistema de devolução de dinheiro para quem comprou ingressos esteja implementado em pouco tempo. Vamos dar prioridade a quem comprou ingresso, para que possam comprar ingressos para o novo palco do jogo - disse Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol.

 

A Conmebol também pretende conversar com companhias aéreas para explicar a mudança por motivo de força maior e tentar negociar tarifas especiais para remarcações e novos voos.

 

Confira respostas da coletiva realizada em Luque:

Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol

- Todos reunidos aqui estivemos trabalhando arduamente para avaliar todas as situações. Depois de conversarmos com a ministra do Chile Cecilia Perez, tomamos uma decisão em consenso de mudar a final única para Lima, Peru, no dia 23 de novembro.

- Quero agradecer ao povo chileno e ao presidente da ANFP, Sebatian Moreno, por ter feito todo o possível. Lamentavelmente não foi possível. Queremos agradecer ao presidente Vizcarra, que deu todas as garantias para que se possa jogar em Lima, no Peru.