Estados Unidos marcam 13 gols na estreia da Copa do Mundo feminina

Na rodada de hoje, Suécia bate o Chile e Holanda vence Nova Zelândia

Estados Unidos marcam 13 gols na estreia da Copa do Mundo feminina

Na último jogo da primeira rodada da Copa do Mundo de Futebol Feminino, a seleção americana mostrou a que veio logo de cara goleou as tailandesas por 13 a 0.

Com lotação máxima no estádio de Reims, os Estados Unidos – tricampeão mundial feminino – estreou contra a frágil equipe tailandesa. A expectativa era de uma goleada histórica, até porque da única vez que os dois times se enfrentaram, as americanas ganharam por 9 a 0. Por que não superar esta marca?

Com 5 minutos, os Estados Unidos já tiveram um gol anulado. Numa bola alçada na área, Morgan completa para as redes, mas estava completamente impedida.

Mas aos 11 minutos não teve jeito. Em outro cruzamento para a área, Morgan acertou a cabeçada, com a goleira Charoenying – de apenas 1m65 – completamente batida: 1 a 0.

Aos 19, Morgan serviu Lavelle e, de fora da área, a meia chutou fraco, a bola quicou e enganou a goleira tailandesa: 2 a 0.

Aos 31, cobrança de falta ensaiada para as americanas, Heath cobra para a área e Horan enche o pé para marcar mais um: 3 a 0, fácil, fácil.

No 2º tempo, a Tailândia entregou os pontos de vez e as atuais campeãs mundiais brincaram de fazer gols.

Aos 4 minutos, Mewis mandou a bomba de longe, a bola desviou na zagueira Saenkhun e morreu no fundo das redes: 4 a 0.

Quatro minutos mais tarde, outro gol, após um toque de cabeça na grande área, Morgan aparece, de biquinho, para anotar o quinto dos Estados Unidos.

As tailandesas erravam tudo. Um minuto depois, saiu o sexto gol. Lavelle chutou, a zaga tentou cortar, mas a bola sobrou caprichosa para Mewis, sozinha, completar e sair para comemorar.

Não perca a conta! Aos 11 minutos, Lavalle completou cruzamento rasteiro na área e chegou ao sétimo gol. Incrível! Em apenas 7 minutos, os Estados Unidos marcaram quatro gols!

Aos 28 minutos, continuou o massacre. Morgan ajeitou dentro da área, olhou e chutou com categoria no canto. Gol de quem entende de bola: 8 a 0!

A humilhação não parava. Eram decorridos 33 minutos, quando a bola foi lançada na área para Rapinoe – a atacante americana de cabelos rosas. Ela chutou de primeira e venceu a goleira Charoenying pela nona vez.

Aos 35 minutos, saiu o décimo gol. Foi fácil demais, Rapinoe tocou para Morgan ajeitar e colocar no canto. A goleira nem pulou. O que as tailandesas poderiam fazer diante de um ataque arrasador?

Parecia um jogo de profissionais contra amadoras. Pugh entrou na área, driblou como quis a goleira e deu um toquinho para as redes: 11 a 0.

O 12º gol foi exuberante! Morgan tirou a zagueira da Tailândia com um leve toque e nem esperou a bola cair para chutar forte, mais uma vez a goleira nem saltou. Era o quinto gol da artilheira na partida.

Aos 46 minutos, quando todos já esperavam o fim do jogo, a veterana Lloyd, 36 anos, recebeu em profundidade e, de cara com a goleira, deu um leve toque para marcar 13 a 0, sacramentando a maior goleada da história dos mundiais femininos.

Logo em seguida, a árbitra argentina apitava o final, para alívio das tailandesas.  

A partida deveria ter servido para mostrar o poderio norte-americano neste Mundial feminino, porém, a fragilidade da Tailândia impede qualquer análise precipitada. O grande jogo deste Grupo F será mesmo o duelo entre Estados Unidos e Suécia, marcado apenas para a última rodada.

No próximo domingo, os Estados Unidos enfrentam o Chile, enquanto a Tailândia tentará se recuperar diante da Suécia.