Covid-19: Inter anuncia suspensão das atividades por tempo indeterminado

Covid-19: Inter anuncia suspensão das atividades por tempo indeterminado

Após a representação do grupo de jogadores, o Inter anunciou, nesta terça-feira (17), a suspensão das atividades do elenco e do departamento de futebol por tempo indeterminado, em virtude da pandemia de coronavírus. O clube adotará uma série de medidas para seguir monitorando a situação clínica e física dos atletas até o retorno das competições.

O comunicado ocorreu em entrevista coletiva com o vice de futebol Alessandro Barcellos, o executivo de futebol Rodrigo Caetano e o médico do clube, Dr. Luiz Crescente. O presidente Marcelo Medeiros foi ausência. O mandatário, que apresentou sintomas compatíveis com o Covid-19, já realizou exames e aguarda diagnóstico.

“Se exige uma responsabilidade muito grande com tudo aquilo que vamos fazer. É algo novo. Nunca enfrentamos algo parecido. É um desafio pra todos nós a partir de agora. Precisamos de medidas importantes. Estamos suspendendo todas as atividades no clube. Acreditamos que assim estaremos contribuindo com nossos atletas, com suas famílias e com todos. As informações dão conta de que essas medidas tem ajudado muito”, anunciou Alessandro Barcellos.

De acordo com Luiz Crescente, coordenador de saúde do Inter, os jogadores estão recendo orientações e serão avaliados durante a suspensão das atividades. Além disso, os atletas, que estão em processo de recuperação, seguirão o tratamento. “Nós estamos sofrendo de um problema de saúde pública. Nossa preocupação maior é com a saúde dos atletas, da comissão técnica, dos funcionários. Obviamente, que qualquer decisão que se faça é uma decisão difícil e que pode haver contestação. Estamos segundo as orientações dos órgãos de saúde e do que está ocorrendo no futebol brasileiro. Por recomendação, os atletas estão sendo orientados a irem para casa e ficar em seus domicílios, evitar de ir ao mercado, cinema, shoppings, contato com torcedores e evitar as formas de contágio para que não haja uma perda na saúde de atletas.”

O prazo do retorno de atividades ainda é incerto, por conta da suspensão das competições. E, de acordo com o executivo de futebol Rodrigo Caetano, se o período sem atividades se postergar, o clube já estuda medidas futuras, após 15 dias, tendo em vista a condição física do grupo de jogadores.

“Temos a previsão que essa semana e mais uma não há possibilidade de jogos (da Libertadores). É consenso o viés de alta que o Inter vinha tendo dentro de campo. Há também o impacto financeiro, mas isso é no mundo. Só mais na frente saberemos o tamanho dos estragos. Mas o mais importante é não ter estragos na saúde. Vamos manter um controle nosso de revisão nos atletas. Eles vão receber orientações clinicas e médicas. Na questão física, é claro que teremos defasagem. Se o período se estender, vamos aplicar o que pensávamos fazer, de dividir o grupo em dois e realizar os treinamentos. Por ora, as orientações é que eles treinem em casa. Mas lá na frente é difícil prever”, declarou Caetano.

Situação do presidente Marcelo Medeiros

O presidente Marcelo Medeiros passou por exames, nesta segunda-feira, após apresentar sintomas “compatíveis” do coronavírus. De acordo com Crescente, o mandatário acordou um pouco mais “amolado” do que o normal e recebeu atendimento.

“Estamos aguardando o resultado. A informação é que ele está bem melhor. Acreditamos que vai dar negativo. Não foi uma coisa que vinha há dias, ele sentiu um mal estar e resolvemos fazer o exame”, explicou.

Medidas ao grupo de jogadores

Depois da suspensão das atividades, os atletas irão retornar ao CT Parque Gigante, na sexta-feira, em pequenos grupos, para realização de exames e imunização contra a gripe.

Os jogadores em recuperação de lesão, como o caso de Rodrigo Dourado e João Peglow, seguirão com o processo de tratamento no CT Parque Gigante. “Os atletas serão vacinados contra a gripe, serão examinados clinicamente e serão liberados. O período em casa ainda é por tempo indeterminado. Enquanto não houver novidade dos órgãos de saúde, vamos manter esse processo”, explicou o médico Luiz Crescente.